Instituto Politécnico de Lisboa

À conversa com Catarina Gaspar e Sara Dórdio - Cardiorespira 28 maio 2013

Esta semana estivemos à conversa com as empreendedoras Catarina Gaspar e Sara Dórdio, recém-licenciadas em Cardiopneumologia pela ESTeSL (2011).

Embora a licenciatura em Cardiopneumologia não tenha sido a primeira opção de ambas, apaixonaram-se pela área, uniram esforços e tornaram o projeto submetido ao Concurso Polieemprende uma realidade, a Cardiorespira.

A ESTeSL assinou em 2012 um protocolo de cooperação com a empresa Cardiorespira fundada por estas duas recém-licenciadas, tendo em vista estreitar a colaboração entre as duas instituições em áreas de interesse comum, nomeadamente: ao nível da formação, investigação, prestação de serviços à comunidade e articulação do ensino com a aprendizagem, no sector das ciências e tecnologias da saúde.

Catarina Gaspar e Sara Dórdio


 

 

Como surgiu a ideia de participar no Poliempreende?

A participação no Poliempreende surgiu por olhar para um placard da ESTeSL onde o cartaz de apresentação do concurso costuma estar afixado. A ideia do projeto já existia e já andávamos à procura de concursos, plataformas, ajudas para o concretizar. A primeira vez que quisemos concorrer já tinha passado a data limite e portanto adiamos a participação. Depois foi só estarmos atentas às datas e a todos os passos necessários à participação. Desenvolvemos o Plano de Negócio e concorremos. No final ficamos em 3º lugar do concurso regional! Foi uma experiência ótima, na qual aprendemos muito e fizemos muitos contactos que se tornaram úteis para a concretização do projeto.


Podem falar-nos um pouco mais sobre a Cardiorespira?

Sim! Com todo o entusiasmo que possam imaginar! A Cardiorespira é agora uma empresa [a nossa!] de prestação de serviços especializados em Cardiopneumologia ao domicílio. Foi o projeto que levamos a concurso e foi este projecto que nos deu o 3º lugar a nível regional. A empresa existe desde janeiro de 2013 e estamos agora a dar-lhe forma, a estabelecer contactos, parcerias e já realizamos alguns exames!

A médio prazo a ideia é expandir estes serviços quer com integração de outras áreas de saúde quer com expansão para outros pontos do país, onde o acesso a estes serviços é muito mais limitado.

 

Como é que o projeto se tornou realidade?

O projeto foi ganhando forma e foi-se tornando realidade aos poucos devido à nossa persistência e motivação alimentada também por quem acreditou e acredita na ideia, e que fez toda a diferença. Quando a ideia surgiu contamos com o apoio e entusiasmo de alguém que para nós é um exemplo de empreendedorismo e que nos lançou o desafio de passar tudo para papel. Foi preciso falar com as pessoas certas, pedir ajuda sempre que necessário, acreditar muito e não desistir. Foi e é sempre preciso muita persistência e determinação. Passo a passo as coisas aconteceram!

 

Catarina Gaspar

 

Qual tem sido o seu percurso Profissional?

Logo após terminar a licenciatura, trabalhei em part-time num consultório médico com especialidade em Cardiologia onde fazia exames não invasivos - ECG, Holter, MAPA e Prova de Esforço. Depois de 6 meses deixei esse trabalho para me dedicar a 100% ao Concurso PoliEmpreende com o projeto Cardiorespira. Paralelamente a isso fiz um Estágio Voluntário em Cardiologia Pediátrica, rastreios comunitários na área de Função Respiratória e mais tarde foi-me lançado o desafio pelo Grupo Holon para dar formação de Diagnóstico de DPOC e Inaloterapia a farmacêuticos do Grupo.

Actualmente trabalho em part-time numa clínica de diagnóstico na área de Cardiologia não invasiva e estou inteiramente dedicada à Cardiorespira – tanto na direção como na realização dos exames, gestão, marketing, e tudo o que uma empresa exige.

O seu curso de licenciatura foi a sua primeira opção?

Não. Na altura nem tinha noção deste curso. Sabia que queria cuidar de pessoas e por isso a Saúde sempre foi a minha escolha.

Como teve conhecimento do curso de licenciatura?

Através do site da ESTeSL. Andava a fazer pesquisa dos cursos e das Faculdades e interessei-me por Cardiopneumologia.

Porque escolheu a ESTeSL?

Essencialmente por ser uma Escola Pública e em Lisboa que é a minha zona de residência.

O que recorda da ESTeSL?

A excelente relação entre todos. Ainda que a Escola tenha milhares de alunos, é uma Escola pequena. A relação entre alunos, alunos e professores e alunos e profissionais estabelece-se com muita facilidade. Todas as caras são conhecidas. Há um enorme apoio e cuidado entre todos e isso torna os 4 anos de licenciatura numa fase muito boa e prazerosa.

O que diferencia a ESTeSL?

O cariz científico. Pelo menos na licenciatura de Cardiopneumologia as diferentes áreas técnicas são ensinadas pelos melhores de cada área. E mais uma vez, a relação de proximidade que se vive nesta Escola.

Gostaria de deixar uma mensagem ou conselhos para os nossos atuais estudantes?

O que me choca, às vezes, nos Serviços de Saúde por onde passo é a falta de humanidade. Aquilo em que quero ser um exemplo a seguir e o conselho que quero dar é que quem não tem vocação para cuidar de pessoas, não siga este caminho. As pessoas que se dirigem aos Serviços de Saúde já estão normalmente fragilizadas. Se não formos nós, enquanto profissionais de Saúde, a dar conforto, apoio e humanização, então não estamos a marcar a diferença em nada e não precisamos de estar ali. Sejam cuidadores e sejam com o outro o que gostavam que alguém fosse para vocês.

 

 

saradordio200

Sara Dórdio

 

Qual tem sido o seu percurso Profissional?

Após concluir a licenciatura em setembro de 2011 comecei a entregar currículos por todo o lado desde clínicas a hospitais na região de Lisboa. Enquanto isso participei em 3 ações de voluntariado, “Solidariedade Médica Social” organizadas pela Tecnifar. Em janeiro de 2012 comecei uma formação numa clínica em Sintra em que acompanhava o técnico, com a qual aprendi a trabalhar com os softwares dos aparelhos disponíveis e manter-me actualizada. Em fevereiro do mesmo ano comecei a trabalhar em regime de part-time numa clínica na Damaia, onde estou até à data presente. Paralelamente, desde Janeiro deste ano que a Cardiorespira me ocupa todo o tempo que tinha disponível!


Como teve conhecimento do curso de licenciatura?

Numa entrevista com uma psicóloga de aconselhamento profissional.

Porque escolheu a ESTeSL?

Porque já conhecia a Escola de uma visita de estudo organizada por uma professora de Biologia do secundário. Nessa visita verifiquei que era um edifício novo, com ótimas condições, bem equipado a nível tecnologico e com boa localização.

O que recorda da ESTeSL?

Recordo o processo de aprendizagem que experienciei durante os 4 anos, os professores que orientaram esse processo e a oportunidade de frequentar bons locais de estágio. Sem esquecer dos colegas com os quais convivi durante esse período.

O que diferencia a ESTeSL?

Além da infraestrutura que compõe a ESTeSL, acho que o que a torna uma instituição de referência é a qualidade científica que exige de todos os professores e consequentemente, dos alunos.

Gostaria de deixar uma mensagem ou conselhos para os nossos atuais estudantes?
O conselho que posso dar aos atuais alunos é pensarem muito bem se estão a fazer o que realmente desejam, e se for o caso, trabalhem para tirar o maior partido do curso, porque pode fazer a diferença quando acabarem a formação académica.