Instituto Politécnico de Lisboa

À conversa com Lara Silva... 11 jun 2013


Lara Silva é Açoriana e decidiu estudar no Continente. Escolheu a ESTeSL para fazer a sua licenciatura em Farmácia em 2009. Atualmente a desempenhar funções como Técnica de Garantia de Qualidade na Indústria Farmacêutica recorda com saudade o ambiente académico da Escola e a união única que existe entre todos os alunos, independentemente dos cursos.


Qual tem sido o seu percurso Profissional?

O meu primeiro trabalho imediatamente após a conclusão do curso foi nos serviços farmacêuticos de um estabelecimento prisional onde preparava toda a medicação para os reclusos, como tinha um horário de 6 horas , foi possível conciliar com um part-time em farmácia comunitária, até ao momento em que fui contactada por uma empresa na Indústria Farmacêutica, na qual tinha estagiado durante o curso no sector da produção, e de onde me nasceu o "bichinho". É aqui que me encontro a trabalhar atualmente, no departamento de Garantia de Qualidade, em que a minha principal função é a revisão de registo de lote e aprovação de mesmo para o mercado.


Quais são as suas áreas de interesse a nível profissional/áreas de investigação?

Neste momento o meu maior interesse a nível profissional é sem dúvida a Indústria Farmacêutica onde procuro aprender muito mais e diversificar as minhas competências e aptidões nesta área.


O seu curso de licenciatura foi a sua primeira opção?
Foi a minha 3ª opção.

Como teve conhecimento do curso de licenciatura?
Através da Internet artigos sobre acesso ao ensino superior.

O que diferencia a ESTeSL?

De muitos estabelecimentos de Ensino Superior que ouço falar, a ESTeSL na minha opinião sempre tentou instituir e ensinar a vertente mais prática de um curso. Mais que a teoria, considero a prática bastante mais importante nos dias de hoje, e isso sinto que me foi perfeitamente transmitido.

Gostaria de deixar uma mensagem ou conselhos para os nossos atuais estudantes?
Primar pela diferença hoje é fundamental num mercado de trabalho como o nosso. Dependendo do gosto pessoal de cada um, é importante tentar ao máximo procurar, pesquisar, conhecer uma área de trabalho que nos diferencie dos outros, que nos faça sentir orgulhosos por abrirmos novos caminhos aos novos estudantes/profissionais que se estão a preparar para trabalhar. É essa a realização pessoal que hoje sinto do meu percurso, tentei ao máximo enveredar por uma área diferente que não a farmácia hospitalar ou comunitária, e após muito procurar e "desenrrascar-me", consegui começar a trabalhar em algo que realmente de deixa satisfeita. Não há que haver receios, medos ou vergonhas de entrar numa empresa, apresentar-nos e dizer o que pretendemos, seja isto para procura de estágios ou propriamente trabalho. Muitas portas se podem abrir por se mostrar essa postura.